As três fases de um trabalho de consultoria

Trabalho com consultoria desde 1990. Durante todos esses anos, observei que, seja qual for o tipo de empresa, seu tamanho e localização, toda consultoria possui três fases bem distintas, que acontecem de maneira natural ao longo do desenvolvimento do trabalho.

A fase da dúvida

Acontece desde o início dos levantamentos de dados e se estende até a execução das soluções. Inicialmente a consultoria se aprofunda na coleta de dados e informações para analisar a situação e confirmar o diagnóstico e em testar alternativas na busca das soluções mais adequadas. Discutidas e definidas as soluções, chega o momento da implantação, que gera muita apreensão, pois mudanças são efetuadas, e muitas pessoas deixam a zona de conforto. É a fase em que muitas informações são solicitadas, muitos questionamentos são feitos, muitas mudanças são realizadas, e nenhum resultado é apresentado; então, é natural que o responsável pela contratação do trabalho fique um pouco receoso. Nesse momento, cabe ao consultor ter sensibilidade para tratar dessa situação da maneira mais natural possível, lembrando sempre que essas etapas do trabalho já haviam sido previstas durante a apresentação da proposta da consultoria e que devem ser realizadas normalmente para garantir o resultado esperado ao final do projeto.

A fase da euforia

Terminado o ciclo de levantamento de informações, discussão e implantação das soluções, começam a surgir os primeiros resultados do trabalho. O sucesso deles leva a uma euforia geral na empresa. O consultor é promovido à condição de herói, e outros problemas que não faziam parte do projeto e não são da sua competência são apresentados na esperança de que ele possa resolvê-los. Essa fase é a mais gratificante, mas também perigosa e exige do consultor muito equilíbrio para:

– Não se deixar levar pela empolgação e mostrar que os resultados do projeto são frutos do trabalho de uma equipe e não apenas mérito dele;

– Não tentar resolver problemas que não são da sua competência e área de atuação, mesmo que isso não seja do agrado do contratante.

A fase da libertação

A parte final de um trabalho de consultoria é toda voltada para garantir a consolidação e estabilização dos resultados, incluindo-se aí a lapidação final da equipe responsável pela continuidade do processo, visto que a capacitação foi feita durante todo o projeto. Essa fase é importantíssima para garantir a perenidade e contínua melhoria dos resultados, mas, muitas vezes, o contratante quer encurtá-la, pois acredita que já pode “andar com as próprias pernas”. Novamente o consultor terá que agir com muito tato, relembrando a importância dessa etapa para o sucesso do projeto.

Entendidas essas fases, antes do início de um trabalho de consultoria, as chances de sucesso serão aumentadas, pois as dúvidas, euforias e ansiedades serão minimizadas.

O trabalho de consultoria é, na perspectiva de quem o recebe, um caminho de aprendizado, em que o consultor faz seu papel de mestre e aprendiz, sempre respeitando e valorizando o potencial humano da empresa e os seus valores. O sucesso do projeto não tem como protagonista o consultor, mas todos os envolvidos.

Consultor da Otma Consultoria e instrutor da Trato Treinamentos

Posted in Geral.

Consultor da Otma Consultoria e instrutor da Trato Treinamentos